Neuro e Imunofarmacologia

O Laboratório de Neuro e Imunofarmacologia (NIMFAR) iniciou suas atividades em 2013. Através de modelos experimentais em camundongos, o laboratório tem desenvolvido estudos na busca do melhor entendimento dos aspectos fisiopatológicos de doenças crônico-degenerativas, especialmente associadas a doenças infecciosas como a malária, bem como na avaliação do potencial de farmacológico de compostos de origem natural, semi-sintéticos e sintéticos para o tratamento destas doenças.

APRESENTAÇÃO 

O Laboratório de Neuro e Imunofarmacologia (NIMFAR) iniciou suas atividades em 2013, com a chegada do pesquisador Dr. Quintino Moura Dias Júnior, mas se estabeleceu oficialmente em 2017, com a proposta de desenvolver pesquisa empregando modelos experimentais de doenças que afetam o sistema nervoso periférico e central, e o sistema imune.

Através de modelos experimentais em camundongos, o laboratório tem desenvolvido estudos na busca do melhor entendimento dos aspectos fisiopatológicos de doenças crônico-degenerativas, especialmente associadas a doenças infecciosas como a malária, bem como na avaliação do potencial de farmacológico de compostos de origem natural, semi-sintéticos e sintéticos para o tratamento destas doenças.

Complementando os modelos animais, o laboratório também aplica ferramentas de farmacologia clássica (fármacos agonistas e antagonistas), métodos de biologia celular (histoquímica e imuno-histoquímica) e métodos de biologia molecular (ELISA, PCR, Western blot) quando necessário. Desta forma, o laboratório tem como missão contribuir para a geração de conhecimento e de estratégias terapêuticas para o enfretamento das doenças crônico-degenerativas tais como neuropatias, transtornos do humor e da ansiedade, cânceres e de doenças neuro-inflamatórias crônicas cujo os impactos em Saúde Pública são devastadores.

O laboratório também tem se dedicado a estudar novas estratégias farmacológicas de controle de insetos vetores de doenças através da modulação de seu comportamento e de seu sistema imune. Para isto, avalia o efeito de compostos de origem natural, semi-sintéticos e sintéticos sobre o comportamento, especialmente locomotor, e sobre a resposta imune, especialmente dos hemócitos de mosquitos de forma a induzir prejuízo em sua capacidade de transmitir doenças sem necessariamente matá-los. Para tal, o laboratório emprega sistemas automatizados de monitoramento de atividade locomotora, sistemas de avaliação da atratividade sensorial (Olfatômetro) além de empregar ferramentas da farmacologia clássica (fármacos agonistas e antagonistas). E para avaliar o efeitos destas substâncias sobre o sistema imune dos insetos, o laboratório emprega métodos de microscopia além de técnicas de biologia celular (histoquímica e imuno-histoquímica) e molecular (ELISA, PCR, Western blot).

PESQUISADOR RESPONSÁVEL
Quintino Moura Dias Júnior

Currículo Lattes

Telefone: (69) 3219-6009

E-mail: quintino.dias@fiocruz.br

 

– Estudo multidisciplinar dos processos de imunidade e inflamação, e suas implicações na patogênese das doenças infecto-parasitárias e crônicas não-transmissíveis;

– Aplicação de modelos experimentais de doenças, especialmente em animais, visando ao estudo dos mecanismos fisiopatológicos e à avaliação de procedimentos terapêuticos ou profiláticos;

– Estudo multidisciplinar dos aspectos genéticos e metabólicos, processos de patogênese e evolução de doenças crônico-degenerativas;

– Pesquisa básica pré-clínica das propriedades farmacológicas de compostos sintéticos, semi-sintéticos e de produtos naturais para o desenvolvimento de neuropsicofármacos, anti-inflamatórios, analgésicos, anticonvulsivantes, antitumorais inseticidas e antiparasitários;

– Pesquisa das propriedades farmacológicas de compostos sintéticos, semi-sintéticos e de produtos naturais para o desenvolvimento de moduladores comportamentais e do sistema imune de insetos para o controle de vetores de doenças;

– Avaliação experimental das alterações na resposta inflamatória, nociceptiva e comportamental induzido por fármacos antiparasitários empregados no tratamento da malária em modelos murinos. Neste campo de estudo é dado especial atenção ao impacto do processo fisiopatológico de doenças tropicais e de seu tratamento sobre respostas fisiológicas e do desenvolvimento, manutenção e tratamento de doenças não-infecciosas crônicas inflamatórias e neurodegenerativas (periféricas e centrais);

– Avaliação do efeito de nanocorpos de camelídeos contra a integrina dimérica VLA-4 no desenvolvimento da esclerose múltipla em camundongos;

– Avaliação da atividade antinociceptiva mecânica e térmica de frações do extrato bruto de Piper aduncum L. (Piperaceae) em modelo de lesão por constrição crônica de nervo isquiático em camundongos;

– Avaliação da correlação entre níveis séricos de interleucina-10 e hiperalgesia térmica desenvolvida durante a infecção por Plasmodium berghei em camundongos;

– Efeito da infecção por Plasmodium berghei sobre a resposta nociceptiva em modelo de dor peritoneovisceral em camundongos tratados com antimaláricos;

– Estudo do perfil químico e farmacológico com venenos de anuros da das famílias Bufonidae, Dendrobatidae e Hylidae (Amphibia: Anura) da Amazônia;

– Avaliação do potencial antinociceptivo preemptivo e pós-operatório da administração intratecal de Tingenona B em modelo dor pós-cirúrgica;

– Avaliação do efeito da infecção por Plasmodium berghei e tratamento com antimaláricos sobre a resposta comportamental no teste do nado forçado e labirinto em cruz elevado em camundongos Balb/c;

– Efeito do tratamento com cloroquina + primaquina sobre o limiar da convulsão induzida por pentilenotetrazol durante a malária experimental em camundongos;

– Avaliação do potencial anti-inflamatório, antitumoral, antinociceptivo, ansiolítico, antidepressivo e anticonvulsivante de extrato bruto, frações e isolados de plantas das famílias Piperaceae, Combretaceae, Burseraceae, Rubiaceae e Celastraceae em camundongos;

– Avaliação do efeito do tratamento com antimaláricos sobre a resposta inflamatória e nociceptiva, limiar convulsivo, resposta comportamental em modelo de ansiedade e depressão, durante a malária experimental induzida por Plasmodium berghei em camundongos;

– Avaliação do potencial anti-inflamatório, antinociceptivo, ansiolítico, antidepressivo e anticonvulsivante de extrato bruto de Piper aduncum L. (Piperacea) em camundongos suíços;

– Avaliação do potencial anti-inflamatório e antinociceptivo do extrato bruto de Piper aduncum I. (Piperacea) em modelo de câncer sólido induzido por células tumorais de Ehrlich em camundongos;

– Avaliação do efeito da saliva e hemolinfa de carrapatos da Família Ixodidae sobre a atividade locomotora e perfil hemocitário de mosquitos Aedes Aegypti (Diptera: Culicidae);

– Avaliação do Diazepam sobre a atividade locomotora e perfil hemocitário de mosquitos Aedes Aegypti(Diptera: Culicidae);

– Meiriane Mendes Guterres

Currículo Lattes

– Tailane Gomes Passos

Currículo Lattes

– Larissa Rodrigues de Souza Lobato

Currículo Lattes

– Jessica Reis

– Roberta C. G. Medeiros da costa

Currículo Lattes

– Fabiano Cerri

Currículo Lattes

– Laura Nadyne da Silva Silvestre

Currículo Lattes

– Yara de Moura Magalhães Lima

– Maria de Fátima Rodrigues Aguiar

Currículo Lattes

 

COLABORAÇÕES

Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Centro Universitário São Lucas (UniSL)

Instituto Federal de Rondônia (IFRO)

Universidade Federal do Acre (UFAC)

Universidade Federal Do Mato Grosso (UFMT)

Universidade Federal do Piauí (UFPI)

Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Universidade de São Paulo (USP)

Instituto Butantan (IB)